O Barcelona e a Metáfora da Vida

O Barcelona acabou de ser eliminado pelo Chelsea. Um jogo eletrizante na Catalunha, com elementos dramáticos daqueles que pedem a trilha sonora de Carmina Burana [reparem que não há clichê mais eficiente do que colocar a trilha de Carmina Burana em algo. Infalível]. A eliminação do Barcelona suscitou uma série de lamúrias dos puristas e a comemoração de muitos amantes do futebol. Há um porquê disso. E não tem nada a ver com futebol.

O Barcelona é a materialização da quase perfeição. Os passes, o entrosamento, o sucesso, a paciência, a calma, a felicidade, o sucesso. Este time do Barcelona já ganhou absolutamente tudo. Só não ganhou a Libertadores porque não teve a idéia de passar 12 meses em Guayaquil disfarçado de primo pobre. Além de tudo, tem o melhor jogador do século, assessorado por certamente outros dois entre os cinco melhores. É uma máquina de contornos humanos, com armadura azul e grená.

Se levarmos isso para a vida, o Barcelona é aquilo que gostaríamos de ser sempre: ama o que faz, bem sucedido, sem entreveros, com um caminho trilhado para a vitória e ser feliz. Só que nós, pelos árduos e tortuosos caminhos, nos aproximamos disso à duras penas. E quando chegamos próximos disso, algo nos leva a um novo dilema, a um novo desafio gigante, a um novo caminho, nem sempre agradável.

A derrota do Barcelona é salutar por dois pontos primordiais: Um porque o oponente que vence é um sopro de que nós podemos ser melhores de quem é melhor do que nós, podemos alcançar nossa meta, podemos superar desafios que parecem impossíveis; por outro lado, a derrota do Barcelona o faz mais humano, mais próximo de nós, mais falível e mais atingível.

Portanto, quando vir as pessoas comemorando a derrota do Barcelona, fique feliz. A humanidade da perfeição faz todos serem melhores. O Barcelona não deixa de ser melhor porque perde, mas sua derrota resgata a beleza do imprevisível. E o imprevisível é a matéria prima do sonho.

Hasta.

Anúncios

6 opiniões sobre “O Barcelona e a Metáfora da Vida

  1. Pingback: 101 | Cotidiano e Outras Drogas

  2. Se o Barcelona ensina algo sobre perfeição, é que a perfeição é CHATA PRA CARALHO. Um time que desconhece o fundamento “chutar de fora da área”, que fica naquela firula infinita de oitocentos mil passes para cada finalização… nossa! Tenho vontade de morrer. Salve, Chelsea, que desmantelou essa suposta perfeição com uma marcação um pouco mais eficiente que a média e um par de contraataques.

    Curtir

  3. A derrota do Barça nos mostra que não podemos vencer sempre, ainda q sejamos o melhor em uma categoria. Um dia nos deparamos com algo que nos derrota, mas ao mesmo tempo, a queda nos faz levantar novamente, e a partir de então nos tornamos mais cautelosos para não cair de novo. Barcelona, bem vindo à imperfeição do gênero humano. Você é um de nós!

    Curtir

Agora pare: Escreva um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s