A História Se Repete

“A história se repete como farsa”. Um brocardo antigo, que muitas vezes se prova eficaz e infalível. Seja em tempos antigos, seja em tempos atuais, sempre há um exemplo que permita que o ditado nunca caia em desuso e seja lembrado com esmero.

Demóstenes. Orador grego famoso. Reza a lenda que superou uma gagueira imensa, declamando poemas correndo contra o vento e falando com a boca cheia de seixos, para se tornar dos maiores realizadores de discursos da Grécia Antiga. As filípicas tiravam Filipe II da Macedônia do sério. Demóstenes era um esteio político.

Demóstenes. Político goiano famoso. Formado em direito, obeso, começa sua carreira como promotor de justiça, galgando espaços na procuradoria até chegar a secretário de segurança do Governo de Goiás e, posteriormente, Senador da República. Ganha destaque como maior e mais honesta voz da oposição, presidindo a Comissão de Constituição e Justiça do Senado e relatando a Lei da Ficha Limpa, contra maus políticos.

Na Grécia Antiga, o orador se vê envolvido em conspirações, se vendendo a um Ministro de Alexandre, o Grande, é preso, consegue fugir, deixa Atenas e sua influência decai. Volta depois, triunfante, revolta-se contra Antíptaro, sucessor de Alexandre, sente sua chapa esquentar e, no templo de Poseidon, se suicida.

Na Brasília atual, Demóstenes é levado por uma cachoeira de denúncias. Toda sua moral paladina escorre pelo ralo. Seus apoiadores começam a lhe dar as costas, seu nome vai para a lama, mas ele, usando de sua inteligência inegável e as brechas que a lei lhe permite, vai se calando, ironicamente, esperando a poeira baixar. Quando um homem cuja virtude é ser orador usa de silêncio para se salvar, é porque algo fez. E não foi bom.

O ciclo vai se fechando. O Demóstenes antigo nada tem a acrescentar, mas o Demóstenes novo ainda tem tempo de se salvar, no Templo de Poseidon das brechas da lei. Resta saber se cometerá suicídio político. Por enquanto, de forma metafórica, mas com coincidências gritantes, a história vai se repetindo. Como farsa.

Anúncios

3 opiniões sobre “A História Se Repete

  1. Pingback: Abstenção | Cotidiano e Outras Drogas

  2. Demóstenes, bradava na cara dos outros agora fica caladinho. Não gosto de paladinos da ética. para ser honesto não precisa esculachar o outro. a veja colocou Demóstenes, como um dos três mosqueteiros da ética. hoje ela se cala como Demóstenes.

    Curtir

Agora pare: Escreva um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s