Multicolorida

Você veio ao mundo no dia da final entre Brasil x França. Naquele dia xexelento, alguma coisa tinha de brilhar. E foi você. Eu ainda estava no Rio de Janeiro, mais de 2.000 quilômetros longe, e mal sabia que você se tornaria tão importante na minha vida.

Quando eu conheci você, era uma pequenininha bem abusada. Fazia bico e mordia o lábio, do alto de sua pequena brabeza. Quando comecei a namorar sua mãe, adquiri o pacote completo,  sabia que você vinha de bônus. Só não sabia que depois de tanto tempo você viraria um dos grandes amores da minha vida.

Tem tanta coisa que a gente já passou junto. Quando você aprendeu a ler, estava no meu colo. Íamos ao carnaval na Praça do Arsenal e você começou a declamar o hino do Galo da Madrugada. “Ei, pessoal, ei, moçada, o carnaval começa no Galo da Madrugada”. Pra mim foi uma conquista de Copa do Mundo.

Como foi recompensador quando você só queria subir pelas ladeiras de Olinda no meu colo. E você já pesava pra cacete! É magra e ossuda. E eu chegava no Alto da Sé quase desmaiando, mas todo orgulhoso.

Tem uns momentos complicados também. Como daquela vez que você estava com suspeita de meniningite e eu quase esganei a médica de cabelo rosa que te atendeu, sem saber que a Nina Hagen dos agrestes era uma das melhores neurologistas do país. E eu e sua mãe ficamos anos sem plano de saúde, mas o seu tinha até helicóptero incluso, porque você sempre foi o mais importante pra gente.

E momentos de orgulho monstruoso, como quando você tocava “Smoke on the Water” e “Iron Man” no Guitar Hero, colocando o ventilador em cima, para o cabelo ficar voando, como se fosse guitarrista de banda de rock farofa. E até hoje você pede pra escutar Placebo e detesta música mal feita.

Cresce e floresce com todas as dores e delícias de ser adolescente, mas tem índole, retidão, um sorriso que acalenta qualquer pessoa e é meiga com todos. Boa filha, boa neta, boa amiga. Mesmo com pouca experiência, já sabe diferenciar as sutilezas que a vida impõe.

Vai fazer 14 anos. É minha Pequena, sempre será minha Pequena. Eu não fiz você, mas tenho certeza que aprimorei. E aprimoro. É o orgulho da minha vida. É o arco multicolorido que pinta meus olhos. Como diz aquela música com seu nome, quando tudo parece feito para se quebrar, eu apenas quero que você lembre quem eu sou. E eu te amo. Parabéns.

Anúncios

7 opiniões sobre “Multicolorida

  1. Pingback: Gabo – Ano Um | Cotidiano e Outras Drogas

  2. Pingback: 301 | Cotidiano e Outras Drogas

  3. Pingback: Gabo | Cotidiano e Outras Drogas

  4. Art, já te falei o quanto te admiro por essa adoção e por este sentimento pela sua filha (sem as aspas, pois pai e mãe são aqueles que criam). Parabéns pra ela e pra ti todos os dias também! Abraço.

    Curtir

Agora pare: Escreva um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s