O mundo, da janela

[em um lugar qualquer de 2005…]

– Por que você está assim?
– Tô irritado
– Mas por que?
– Nada dá certo. O trabalho não dá certo. Não consigo emprego, nada funciona.
– Não fica assim não, vai melhorar.
– Tô cansado.
– De que?
– Cansado de tentar. Já passei fome, já passei frio, tenho pensado em desistir. Acho que você merece coisa melhor
– Não desiste não, a gente vai conseguir melhorar. Tem que ter paciência. Tem que ter fé. E você é um cafajeste, mas eu amo você. Mesmo não valendo nada. [gargalha]
– …
– Lembra daquela vez em que a gente contou moedas pra beber cerveja no carnaval?
– Uhum.
– Então, foi um dos dias mais bacanas do nosso carnaval.
– Foi mesmo. E a gente se divertiu com uns dez reais cada um.
– Pois é. Se a gente não tiver leveza, não vai pra frente.
– É. É verdade.
– Lembra do ditado que sua mãe te ensinou?
– Claro.
– Diz ele pra mim.
– Paciência e memória, a segunda pra não esquecer a primeira.
– Este é o segredo da vida. Você é muito novo, imaturo. Tem de ser mais sereno.
– Eu nasci pra ser de infantaria, peitar o mundo.
– Vai aprender a usar a fúria a seu favor.
– …
– [abraça]
– Tenho medo.
– De que?
– De não dar certo. Temos uma filha para criar, muita coisa para fazer, muitos sonhos para realizar.
– Tudo ao seu tempo, tudo à sua hora. Não pode deixar de acreditar.
– Eu nunca deixo de acreditar, mesmo quando questiono.
– Tenho certeza disso.
– Você é muito Poliana, sabia?
– Sabia. Tenho de passar isso pra você. Você precisa lidar com as coisas de uma forma melhor. Você é muito rabugento. Chato. Chatão.
– Mas este sou eu.
– Tem que mudar.
– Hunf.
– Não resmungue.
– Hunf.
– Senta aqui, vamos ver um pouco de TV.
– Ok.
– [passa documentário sobre viagens]
– Um dia você me mostra o mundo?
– Mas, amor, eu não tenho dinheiro nem pra pagar o aluguel hoje.
– [levanta] [abre a janela da varanda]
– [olhar curioso]
– Mostra o mundo pra mim? Contigo, meu mundo parte desta janela.
– [sorri] [se emociona]
– Vamos conseguir. Juntos somos imbatíveis, lembra?
– Vamos sim. Juntos somos imbatíveis.

______________

Depois de sete anos, férias e uma viagem em breve. Pra mostrar o mundo, da janela do avião.

Anúncios

12 opiniões sobre “O mundo, da janela

  1. Pingback: 301 | Cotidiano e Outras Drogas

  2. Pingback: Gabo | Cotidiano e Outras Drogas

  3. Pingback: O Jantar | Cotidiano e Outras Drogas

  4. Pingback: 201 | Cotidiano e Outras Drogas

Agora pare: Escreva um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s