Diários Secretos da Cafajestagem – Capítulo IX – Churrasco

[Nada escrito neste texto é inverídico. Qualquer semelhança com a vida real não é mera coincidência. São depoimentos reais de cafajestes atuantes, em remissão, aposentados, mas sempre, sempre com o gene da cafajestagem como dominante]

– E aí galera? Beleza.
– Beleza.
– Trouxe um amigo pra ficar com a gente no churrasco, terminou com a noiva recentemente, é gente fina, meio cult, espero que não tenha problema.
Cult. Entendo. Vamos fazer o teste do banheiro com ele e já te dizemos.
[o amigo chega]
[devidos cumprimentos]
[amenidades]
– Quer cerveja?
– Claro!
[uma hora e algumas cervejas depois, o amigo vai ao banheiro. Um dos cafajestes também]

* * *

[lado a lado no banheiro]
[ambos olhando pra frente no mictório]
[nenhuma palavra]
[ambos lavam as mãos]
[nenhuma palavra]
[finalizam a mijada]
[trocam amenidades]

– E aí?
– O cara é brother, chegou no banheiro e manteve a etiqueta.
[o amigo olha sem entender nada]

* * *

[duas rodadas de cerveja depois]

– Senta aí, vamos conversar. Nosso brother falou que você está meio triste, terminou com a mulher. O que houve?
– Pois é, cara. A vida é assim. O mal do século, aquele ciúme desmedido, aquele stress. Mas da minha parte era a mesma coisa também. Não dá pra crucificá-la, eu mandei mal.
– Bem, essas coisas acontecem, meu camarada. Você precisa espairecer, viver coisas. Já te contaram a história do gol urucubaca?
– Sim, já contaram.
– Então, é disso que você precisa pra viver feliz.
– Preciso me reacostumar a ser só. Preciso parar com essa dor profunda no meu peito.
– Cara, a vida não é bossa nova, pare com esse drama, parece letra do Djavan.
– Não sei o que fazer.
– A gente sabe. Olha aquela menina ali. Linda, hein? E solteira.
– É mesmo, uma gata.
– Esculpida, e gente finíssima.
– E aí, o que eu falo pra ela?
– Você conhece o teorema de La Bombonera?
– Não.
– Conta pra ele aí.
– Ok…

* * *
[mais uma dezena de cervejas depois…]

– Bem, agora vou lá e falo com ela de música, cinema, artes em geral?
– Cara, só não seja chato. Um pretendente chato é amor sem beijinho, nem é Buchecha, muito menos sem Claudinho.
– E como é que eu sei que não estou sendo incômodo.
– Simples. Não seja enfadonho, nem prepotente. Também não seja babaca. Não adianta olhar pros peitos dela como se fosse o Tom Hanks nadando atrás do Wilson.
– Entendi.
– Chega lá, curte o pagode, dá uma sambada, sorri na boa. Seja você mesmo.
– Mas eu não gosto de pagode.
– Amigo, no amor, na guerra e na cafajestagem, todo mundo gosta de pagode. Até pra namorar no Badoo você precisa curtir um pagodinho.
Badoo? Você já se inscreveu lá?
– Ihhhhhhhhhh.
– Só testei, só testei.
– Então é você que manda os e-mails com virus pro grupo de amigos? Mas que canalha.

* * *

[Mais uma dezena de cervejas depois…]

– Agora vou lá, tomei coragem.
– Mas tem um cara paquerando a garota, você deu mole, agora tem que deixar o desdobramento acontecer.
– Mas, porra…
– Amigo, o solteiro na conquista é igual a lateral. Se avançar muito, toma bola nas costas. Se ficar só na marcação, toma o drible. Tem que saber equilibrar.
– Não entendo muito de futebol.
– Como não entende de futebol? Esse negócio de cult não leva ninguém a lugar nenhum. Então fica a lição pra vida.
– Merda…
– Ih, o cara tá beijando a guria…
– O que me resta é beber.
– Você acabou sofrendo do teorema de Jovelina Pérola Negra, meu camarada, letal em qualquer churrasco.
– Que porra é essa?
– Você foi no pagode, acabou a comida, acabou a bebida e acabou a canja. Sobrou pra você o bagaço da laranja.

[todos gargalham]

 _________________

O capítulo I dos Diários Secretos da Cafajestagem, “La Bombonera”, está aqui

O capítulo II dos Diários Secretos da Cafajestagem, “Reveillón”, está aqui

O capítulo III dos Diários Secretos da Cafajestagem, “A Falha”, está aqui

O capítulo IV dos Diários Secretos da Cafajestagem, “Evidências”, está aqui

O capítulo V dos Diários Secretos da Cafajestagem, “Impedimento”, está aqui

O capítulo VI dos Diários Secretos da Cafajestagem,”Urucubaca e Pênalti”, está aqui

O capítulo VII dos Diários Secretos da Cafajestagem,”Cultura da Sacanagem”, está aqui

O capítulo VIII dos Diários Secretos da Cafajestagem, “Nome Artístico”, está aqui

 

Anúncios

11 opiniões sobre “Diários Secretos da Cafajestagem – Capítulo IX – Churrasco

  1. Pingback: Diários Secretos da Cafajestagem – Capítulo XVI – Das Fraudes | Cotidiano e Outras Drogas

  2. Pingback: Diários Secretos da Cafajestagem – Capítulo XV – Cachê | Cotidiano e Outras Drogas

  3. Pingback: Diários Secretos da Cafajestagem – Capítulo XIV – Putão | Cotidiano e Outras Drogas

  4. Pingback: Diários Secretos da Cafajestagem – Capítulo XIII – Miscelânea | Cotidiano e Outras Drogas

  5. Pingback: Diários Secretos da Cafajestagem – Capítulo XII – A Toalha | Cotidiano e Outras Drogas

  6. Pingback: Diários Secretos da Cafajestagem – Capítulo XI – O Consórcio | Cotidiano e Outras Drogas

  7. Pingback: Diários Secretos da Cafajestagem – Capítulo X – O Churrasco | Cotidiano e Outras Drogas

Agora pare: Escreva um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s